Notícias

Casa de Rui celebra formatura de primeira turma de pós-graduação

 
 
19.12.2018 - 15:40  
Onze alunos formaram a primeira turma do Programa de Pós-graduação em Memória e Acervo da FCRB (Foto: Divulgação)
 
 
A Fundação Casa de Rui Barbosa (FCRB), instituição vinculada ao Ministério da Cultura (MinC), celebrou nesta terça-feira (18) a formatura de 11 alunos da primeira turma do Programa de Pós-graduação em Memória e Acervo (PPGMA). O curso tem como objetivo principal formar gestores, técnicos e funcionários para atuarem com acervos públicos e privados diretamente ligados à conservação e à organização de documentos de natureza arquivística, bibliográfica ou museológica, entre outros.
 
A cerimônia foi aberta pela coordenadora do mestrado profissional, Lúcia Maria Velloso, que agradeceu a presença do público. Em seguida, a presidente da FCRB, Marta de Senna, lembrou o pioneirismo do curso, a excelência do programa e elogiou o corpo docente e a secretaria do mestrado. "Haverá momentos em que vocês se questionarão se vale a pena militar pela área da cultura. Eu digo que vale a pena. Não desistam de seus sonhos", destacou Marta.
 
O programa de pós-graduação abrange distintas áreas de conhecimento e permite a abordagem de variados temas pelos alunos. A aluna Liana Vasconcellos, formada em Produção Cultural, conta que sempre se interessou pelo campo da História da Dança e, por isso, o mestrado em Memória e Acervo lhe chamou atenção. "Eu fiz a prova, entrei e a minha proposta do pré-projeto foi a criação de um Museu da Dança, porque a gente não tem isso no Brasil. Foi e é um projeto que está no papel e que eu pretendo um dia trazer para a realidade", contou.
 
Também aluna da turma de 2016, a bibliotecária Carolina Sena percebeu a necessidade de resgate da literatura de cordel no acervo da FCRB e utilizou o tema como objeto de estudo. "Desenvolvi uma espécie de linha do tempo de eventos, publicações, tudo que envolvia cordel que aconteceu na Fundação", destacou. "Indicaria o mestrado da FCRB porque os professores ajudaram muito na parte de que caminho seguir. No final do primeiro ano, temos o Seminário de Pesquisa. Esse momento é a oportunidade de os professores e até dos colegas comentarem o que poderia ser mudado, apresentado, ter uma nova visão do projeto", completou.
 
Formada em Museologia, a aluna Cristal de Azevedo começou o mestrado em 2016 para dar continuidade à formação acadêmica. "A FCRB é uma instituição de que eu sempre gostei muito. Juntei o útil ao agradável, por ser uma instituição de peso e por causa do horário noturno das aulas". Para Cristal, o Mestrado possibilita pensar melhor em pesquisa, traz a possibilidade de dar aulas e abre outras oportunidades dentro da profissão.
 
A historiadora Marta Soares pesquisou a identificação do patrimônio documental do município de Angra dos Reis (RJ) e o objetivo da pesquisa foi abrir campo para o pesquisador a partir de novas documentações. "Você sai muito mais madura de um mestrado, realmente uma pessoa melhor. Sua capacidade de escrita, sua capacidade analítica, a velocidade de fazer pesquisa, é algo muito poderoso", aponta a mestre.
 
A presidente Marta de Senna encerrou a cerimônia com uma citação do poeta Fernando Pessoa: "Deus quer, o homem sonha, a obra nasce."
 
Fundação Casa de Rui Barbosa
Ministério da Cultura