CTAv realiza II Encontro Nacional de Núcleos de Produção Digital

 

 

 
17.12.2018   
Programação do encontro nacional incluiu debate e mesa redonda (Fotos: Divulgação)
 
 
O Centro Técnico Audiovisual (CTAv), vinculado à Secretaria do Audiovisual (SAv) do Ministério da Cultura (MinC), realizou a segunda edição do Encontro Nacional de Núcleos de Produção Digital (NPDs), em parceria com o Instituto Federal do Rio de Janeiro (IFRJ). O evento ocorreu no Campus Engenheiro Paulo de Frontin, a primeira faculdade federal de jogos digitais no País, localizada no Rio de Janeiro.
 
Durante o evento, realizado entre os dias 12 e 14 de dezembro, representantes de 19 dos 25 núcleos localizados em 22 unidades da Federação puderam aprender, trocar experiências e conhecer o que está sendo realizado em cada um desses núcleos.
 
Dentro da programação, foram realizadas mesas de debate sobre jogos digitais, rodas de conversa sobre a possibilidade de atuação conjunta entre os NPDs e encontro com parceiros e profissionais ligados ao audiovisual. Também houve visitas técnicas ao CTAV e à incubadora Silício Fluminense, do IFRJ.
 
"Alguns núcleos têm mais enfoque em formação. Outros, mais em produção ou difusão, criação de cineclubes e realização de exibições. Eles são bem diferentes entre si, estamos fazendo o mapeamento da produção deles. O evento foi muito positivo no sentido de permitir as trocas entre eles", destaca a coordenadora geral do CTAv, Daniela Pfeiffer.
 
Segundo Daniela, o intercâmbio de conhecimentos permite que se encurtem processos. "No lugar de começar um curso de formação do zero, eles podem compartilhar documentos uns com os outros e fundamentar a experiências de novas ações", exemplificou.

NPDs

Criada em 2005, a formação do Núcleo de Produção Digital se dá a partir da cessão de equipamentos por parte do CTAv a uma instituição. Eles estão instalados em institutos federais ou em fundações culturais. Não tem um padrão único. Em comum, os núcleos devem ter um modelo de governança compartilhada, com a missão de apoiar a produção audiovisual independente, a inovação tecnológica, favorecendo a formação e o aprimoramento de técnicos e realizadores do segmento.
 
Ao receber o kit de equipamentos, o NPD deve apresentar e cumprir um plano de ação anual, acompanhado e supervisionado pelo CTAv. Cada núcleo deve procurar localmente parceiros que sustentem suas iniciativas.
 
Em Macapá (AMP), por exemplo, o núcleo está instalado dentro de uma unidade do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). Com o apoio do Sistema S, eles conseguem viabilizar a realização de palestras.
 
Assessoria de Comunicação 
Ministério da Cultura